Voltar à Página da AGB-Nacional
                                                                                            

   

X SIMPÓSIO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA FÍSICA APLICADA



ANÁLISE DE SÍTIOS DA REDE MUNDIAL DE COMPUTADORES QUE DISPONIBILIZAM INFORMAÇÕES SOBRE GEOGRAFIA FÍSICA

 

 

 


Hugo de Souza Andrade

 

 

 


Universidade do Estado do Rio de Janeiro – UERJ.
 

 

 


Palavras-chave: Educação, Sítios.
Eixo1: Aplicação da Geografia Física ao Ensino.
Sub-eixo 1.4: Novas Tecnologias aplicadas a processos educacionais.
 

 

 


Este trabalho faz parte da pesquisa de Análise e elaboração de material didático para o ensino de geografia cujo objetivo é criar uma página na rede mundial de computadores que possa servir de base de pesquisa e discussões para professores e alunos do ensino fundamental e médio debaterem sobre as dificuldades no cotidiano escolar e o uso de novas metodologias e técnicas no processo de ensino-aprendizagem dos conteúdos da geografia.
A partir de alguns sítios governamentais com informações sobre a geografia física, o território e o meio ambiente brasileiro, e sítios de particulares disponíveis em páginas de buscas da rede mundial de computadores (Google e Cadê), realizou-se um trabalho para analisar sítios brasileiros que disponibilizam informações sobre as palavras “geografia física”. A análise baliza-se nos seguintes parâmetros: textos, mapas, fotos e figuras, links e referências bibliográficas.
Com a finalidade de sistematizar os sítios para analisá-los, dividiu-se os sítios nas seguintes categorias: biogeografia; geomorfologia; hidrologia; climatologia e cartografia. Nesse sentido, e de acordo com os parâmetros pré-estabelecidos, visa-se analisar o conteúdo, neste trabalho especificamente os conteúdos de geografia física, das informações disponíveis para os usuários da rede mundial de computadores, neste trabalho especificamente os conteúdos de geografia física. Sendo que alguns sítios foram incluídos em mais de uma categoria.
Nos tempos atuais, os avanços tecnológicos vêm facilitando a análise dos profissionais envolvidos na sistematização de informações dos processos espaciais. Novos produtos são criados e/ou aperfeiçoados para satisfazer uma demanda de certos atores sociais, inclusive produtos que permitem ao usuário modificar o conteúdo das informações segundo seus próprios interesses, como exemplo pode-se citar os programas de computadores interativos.
Entretanto, apesar das novas possibilidades de aprendizagem que os meios digitais, incluindo nesses a rede mundial de computadores, possam proporcionar, essa prática no ensino da geografia não deve substituir a análise dos conceitos geográficos, os quais diferenciam a geografia das outras disciplinas, e o uso de variadas metodologias na tentativa de respeitar a heterogeneidade e as diversidades individuais dos alunos, para que deste modo, estes possam ampliar as suas cidadanias.
 

 

Sítios de instituições públicas e particulares com informações sobre biogeografia

(clique nas figuras para ver as tabelas)


 

Análise das informações dos sítios sobre Biogeografia

SÍTIOS

TOTAL DE SÍTIOS PESQUISADOS

COM FOTOS E/OU FIGURAS

COM MAPAS

COM LINKS

COM REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

Particulares

19

10

5

5

11

Instituições públicas

6

6

6

6

6

 

O total de sítios pesquisados que contêm informações sobre Biogeografia foi de 25, sendo que deste total 19 são de particulares e 6 de instituições públicas. A porcentagem de sítios particulares com foto e/ou figuras foi de 52,63%. Com mapas foi de 26,31%. Com links também foi de 26,31%. E com referências particulares foi de 57,89%. Já os sítios de instituições públicas possuem todos os parâmetros de análise.

 

Sítios particulares com imformações sobre geomorfologia

(clique nas figuras para ver as tabelas)

 

 

Análise dos sítios com informações sobre geomorfologia

SÍTIOS

TOTAL DE SÍTIOS PESQUISADOS

COM FOTOS E/OU FIGURAS

COM MAPAS

COM LINKS

COM REFERÊNCIAS BIBIOGRÁFICAS

Particulares

20

7

6

6

10

 

Os sítios particulares com informações sobre geomorfologia apresentam um percentual de 35% com fotos e/ou figuras, 30% com mapas, 30% com links e 50% com referências bibliográficas.

 

Sítios com informações relevantes sobre hidrografia em escala nacional

(clique nas figuras para ver as tabelas)

 

Análise dos sítios com informações sobre Hidrografia

SÍTIOS

TOTAL DE SÍTIOS PESQUISADOS

COM FOTOS E/OU FIGURAS

COM MAPAS

COM LINKS

COM REFERÊNCIAS BIBIOGRÁFICAS

Particulares

9

5

5

1

6

Instituições públicas

2

2

2

2

2

 

 

Os sítios de instituições públicas com informações sobre hidrografia apresentam todos os parâmetros de análise pré-estabelecidos. Já os sítios particulares 55,55% possuem fotos e/ou figuras, o mesmo percentual possuem mapas, 11,11% possuem links para outros sítios e 66,66% possuem referências bibliográficas.

 

Sítios com informações sobre climatologia em escala nacional

(clique nas figuras para ver as tabelas)

 

Análise dos sítios com informações sobre Climatologia

SÍTIOS

TOTAL DE SÍTIOS PESQUISADOS

COM FOTOS E/OU FIGURAS

COM MAPAS

COM LINKS

COM REFERÊNCIAS BIBIOGRÁFICAS

Particulares

9

4

3

2

5

Instituições públicas

1

1

1

1

1

 

O único sítio de instituição pública que contém informações sobre climatologia possui todos os parâmetros. Já os dados dos sítios particulares são os seguintes: 44,44% disponibilizam fotos e/ou figuras; 33,33% disponibilizam mapas; 22,22% possuem links para outros sítios e 55,55% disponibilizam as referências bibliográficas das informações.

 

Sítios com informações sobre Cartografia em escala nacional

(clique na figura para ver as tabelas)



 

SÍTIOS

TOTAL DE SÍTIOS PESQUISADOS

COM FOTOS E/OU FIGURAS

COM MAPAS

COM LINKS

COM REFERÊNCIAS BIBIOGRÁFICAS

Particulares

2

0

0

1

1

Instituições públicas

2

2

2

2

2

 

Os sítios de instituições públicas preenchem todos os parâmetros de análise. Nenhum dos sítios de particulares pesquisados disponibilizam fotos e/ou figuras e mapas. Sendo que 50% desses sítios disponibilizam links para outros sítios e referências bibliográficas.
CONCLUSÃO

Apesar da pesquisa ainda se encontrar em uma fase inicial pode-se tirar algumas conclusões. Essas conclusões serão em forma de alerta para os professores que desejam utilizar novas tecnologias no processo de ensino-aprendizagem: o cuidado com a qualidade das informações trabalhadas com os alunos, sendo que os sítios de instituições públicas, como foi demonstrado no trabalho, oferecem informações com referências; e a necessidade desses novos recursos contribuírem para o desenvolvimento do raciocínio do aluno.


BIBLIOGRAFIA

SILVA, Marco. Sala de aula interativa. Rio de Janeiro: Quartet, 2a ed. 2001. 220 p.

BALZAN, Newton César. Sete asserções inaceitáveis sobre a inovação educacional. Educação & sociedade, Campinas, fascículo 6, p. 120-135. Junho de 1980.

www.google.com.br


www.cade.com.br