Voltar à Página da AGB-Nacional
                                                                                            

   

 

X SIMPÓSIO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA FÍSICA APLICADA


 

A MONTAGEM DE UMA BIBLIOTECA VIRTUAL EM GEOGRAFIA A PARTIR DE TEMÁTICAS DA GEOGRAFIA FÍSICA

 


Jorge Soares Marques *

Marta Foeppel Ribeiro *

Hindenburgo Francisco Pires*

 

 

 

 

* Universidade do Estado do Rio de Janeiro/UERJ

Instituto de Geociências/ Departamento de Geografia



Palavras-chave: Biblioteca Virtual – Geografia - Geomorfologia

Eixo 2: Aplicação da Geografia Física à Extensão

Sub-eixo 2.2: Aplicação de Novas Tecnologias

 

 


Este trabalho objetiva disseminar a iniciativa de implementação e instalação de uma Biblioteca Virtual de Geografia no Departamento de Geografia, do Instituto de Geociências da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Sua montagem e disponibilização para o público faz parte de um trabalho que tem na temática da Geomorfologia seu Projeto Piloto.

 

1. A Importância e a Qualidade das Bibliotecas

As bibliotecas são fontes permanentes de guarda e divulgação do pensamento, do conhecimento e da cultura humana. Sua existência cria também espaços formais de apoio para o desenvolvimento de atividades de pesquisa e de ensino.

No Brasil, as estatísticas dão conta que as bibliotecas além de poucas, na grande maioria das vezes, não dispõem de um acervo , qualitativamente ou quantitativamente, suficiente para fazer delas locais de referência ou, no mínimo, de maior freqüência de leitores. Esta situação torna-se ainda mais problemática quando se fala dos seus freqüentadores que, sendo exceções, representam uma percentagem irrisória de uma população que, ao longo do tempo, tem sido caracterizada pelo baixo nível de instrução e pela sua falta de hábito de leitura. A este quadro pode-se acrescentar o sempre relativamente elevado preço dos livros, em função de tiragens limitadas que são justificadas pelas editoras face a alegada falta de mercado e, paradoxalmente, a presença, exponencialmente cada vez maior, de copiadoras, colocadas como eficientes alternativas, principalmente quando se trata de leituras que, por diversos motivos, são colocadas como indispensáveis ou obrigatórias (tipo livros texto).

As grandes cidades concentram a presença das melhores bibliotecas, em sua maioria, públicas e a maior diversidade em relação à existência de bibliotecas temáticas. Elas, salvo raras exceções, não têm a prática de usar rotineiramente a mídia disponível para campanhas de novos leitores ou para divulgação dos seus acervos. Na verdade, muitas delas alegam dispor de irrisórios recursos até para atender as suas necessidades básicas, como instituições, não raro pedindo ajudas em campanhas de sobrevivência, junto aos leitores ou aos que reconhecem a sua importância.

Para ter qualidade, uma biblioteca, entre outros requisitos, deve ter pessoal qualificado, boas condições de instalações físicas e, em maior destaque: dispor rotineiramente em seu acervo de títulos sempre atualizados (novas aquisições); possuir pelo menos as re-edições de obras consideradas importantes (de grande procura); dispor exemplares ou de reproduções de obras há muito esgotadas (obras clássicas e raras) e facilidades para os leitores de acesso aos títulos disponíveis.

Num país como o Brasil, em que gastos públicos voltados para obrigações do Estado são contabilizados e divulgados como decorrentes de atividades deficitárias, ao invés de despesas necessárias; em que a alocação de recursos para a manutenção mínima do funcionamento, de forma adequada, é precária até mesmo para as principais bibliotecas; em que a iniciativa privada de forma ampla não destaca como interesse sua presença efetiva

nessa atividade; não é fácil a missão de criá-las, mantê-las e desenvolvê-las. Fazê-las crescer em todos os seus aspectos e, principalmente, nos itens que lhes conferem maior qualidade, apesar das dificuldades, deveria ser considerado, pela sua importância, ao mesmo tempo um dever, uma missão fundamental e uma iniciativa obrigatória.

Pode-se ainda acrescentar a necessidade, das bibliotecas de Instituições de Ensino, de enfrentarem o problema de disponibilização do acervo aos usuários pois , em função de suas características peculiares, deveriam contar com número maior de exemplares de um mesmo título, para atender aos alunos. Sem isto, as disciplinas lecionadas acabam não tendo condição de indicar leituras como necessárias ou obrigatórias aos seus alunos.

Para os cursos de Graduação e de Pós-Graduação é sempre importante poder contar com uma boa biblioteca, inclusive que vá além dos livros textos indicados pelas disciplinas. Cabe lembrar que elas são colocadas como item de referência para avaliações da qualidade dos cursos, pelas Instituições que financiam, fiscalizam ou normatizam as atividades neles desenvolvidas de formação de pessoal e inerentes à pesquisa, ao ensino e à extensão.

Apesar dos problemas, existem iniciativas e inovações diversas que trazem melhorias para as bibliotecas e, conseqüentemente, para seus usuários, entre outras a constituição de programas de intercâmbio e a utilização da informática. Cabe destaca também a iniciativa da CAPES com o acesso aos periódicos e a criação do Banco de Teses.


2. A Disponibilização dos Recursos da Informática e as Bibliotecas Virtuais

A forma mais simples de modernização das bibliotecas passa atualmente pelo cadastramento informatizado do acervo, possibilitando consultas com mais rapidez e facilidade. Em algumas, já existem programas em operação que permitem vários tipos de consultas por sistemas de busca , usando, por exemplo, palavras chave, a partir de bancos de dados.

Outra iniciativa que começa a ser adotada, cada vez com mais freqüência, relaciona-se ao uso de “scanner” que permite criar cópias digitais de livros. Essas cópias vieram garantir a possibilidade de salvaguardar a memória de valiosas obras antigas, que em função do tempo, ou de estarem sujeitas a situações acidentais diversas, correm riscos de serem destruídas. Tal procedimento abriu novas expectativas para disponibilizar o manuseio amplo de obras raras, que por motivos de segurança era levado a evitar o acesso direto pelos usuários.

A possibilidade de reproduzir digitalmente livros trouxe novos horizontes para as bibliotecas existentes e passou a permitir a formação de um novo tipo de Biblioteca – a Virtual.

A existência desses novos tipos de livro e de biblioteca e a utilização da Internet possibilitaram também o aparecimento de um outro tipo de leitor, aquele que tem acesso a leitura de um livro, mesmo estando fisicamente fora de uma biblioteca.


3. As Bibliotecas Virtuais Existentes

Ao final do 1º. Semestre de 2003, já poderiam ser acessadas 20 Bibliotecas Virtuais Temáticas, presentes no PROSSIGA (Programa do MCT/CNPq).

http://www5.prossiga.br

São elas, as Bibliotecas Virtuais de:

 

Estudos Culturais

Política Científica e Tecnológica

Energia

Agropecuária na Amazônia

Inovação Tecnológica

Economia

Óptica

Educação à Distância

Engenharia do Petróleo

Educação

Jurídica

Saúde Reprodutiva

Bibliotecas Virtuais

Ciências Sociais

Engenharia Biomédica

Saúde Mental

Museus de Ciência e Divulgação Científica

Astronomia

Mulher

Literatura

 

4. Biblioteca Virtual de Geografia do Departamento de Geografia da UERJ

 

4.1. As Idéias que Fundamentaram a Iniciativa

O reconhecimento da importância e da necessidade de dispor de uma boa biblioteca, para as atividades de ensino e de pesquisa, em confronto com a possibilidade de contar com poucos recursos, acabou por suscitar a busca de alternativas. Experiências do Departamento de Geografia em trabalhos de ensino à distância mostraram ser possível, a partir de nossa rede e página na Internet, oferecer textos para leituras complementares em apoio ao desenvolvimento de cursos.

Outros pontos vistos e considerados como importantes foram: as questões ligadas aos direitos autorais que criam limitações à disponibilização das obras publicadas; a impossibilidade de formar um grande acervo baseado nas publicações recentes; a possibilidade de criar oportunidade para autores permitirem a reprodução de suas obras; as iniciativas de algumas Instituições e Sociedades que já divulgam por cd-rom ou pela Internet as suas produções; os periódicos que já têm seus números antigos e mesmo recentes disponibilizados virtualmente; o amplo acesso pela Internet a um infinito universo de dados e informações, gerando a necessidade e dando importância à criação de ambientes selecionados, que facilitam e viabilizam as buscas qualificadas.

Ao investir nessa iniciativa, foi percebido que os objetivos a serem alcançados poderiam ir bem além de contentar o interesse de leitores dispersos, pois ela seria uma forma de dotar os cursos de Geografia de uma nova biblioteca, que oferece livre consulta a um acervo que reúne publicações de obras clássicas, que antes eram inacessíveis.


4.2. Algumas Justificativas e Perspectivas

  • Dificuldades para a consulta de obras tidas como clássicas.

  • Dificuldades para a consulta de obras raras.

  • Disponibilizar para conhecimento dos usuários a relação dos trabalhos, com os seus respectivos autores, que são considerados clássicos ou de grande valor.

  • Seria impossível citar no Brasil um grande número de bibliotecas de âmbitos globais ou setoriais que possuam um acervo “completo”, ou pelo menos importante, das principais obras julgadas “clássicas” em cada área acadêmica.

  • Os programas existentes de intercâmbio entre bibliotecas, mesmo tendo eficiência, atendem a um número restrito de consultas, principalmente as de leitores mais especializados que têm melhor conhecimento das informações e da forma de acessá-las.

  • Ao ser emprestado um livro ou um periódico, seu acesso para consultas de outros usuários está bloqueado.

  • Dificuldades de acesso dos leitores: em saber qual a biblioteca que dispõe da obra procurada ( embora atualmente já seja possível consultar algumas à distância); em saber quais são as obras consideradas clássicas e em estar próximo da biblioteca ( pode estar em outro Município ou Estado).

  •  

4.3. Facilidades de Acesso

  • Acesso de qualquer local, via Internet (casa, escola e trabalho).

  • Sem dependência de horário.

  • Ter a informação de todos as obras disponíveis.

  • Poder acessar todo o acervo, de modo independente, e ainda tomar conhecimento das outras informações pertinentes ao seu interesse disponíveis na Biblioteca.

  • Poder obter cópias dos textos diretamente a partir da consulta.

  • A mesma obra pode ser disponibilizada para usuários diversos ( Docentes, alunos de Pós-Graduação, participantes de grupos de pesquisa e de extensão), sem as restrições existentes nas bibliotecas convencionais.

  • Garantia da não perda ou danos nas obras, como pode acontecer com as publicações impressas pela manipulação do usuário.

  • Interações com o usuário.

4.4. Destacando Importâncias

  • No âmbito dos Departamentos de Geografia dá suporte e promove maior eficiência no desenvolvimento de atividades de ensino, pesquisa e extensão.

- Acrescenta estímulos para a prática da leitura, realizada com o uso de publicações de

qualidade.

  • A biblioteca estará sempre prestando um serviço de divulgação de obras importantes para profissionais (Professores e Geógrafos), alunos de cursos de Geografia (Graduação e Pós-Graduação) e para o público em geral (outros profissionais, estudantes, público leigo).

  • Oferece uma infra-estrutura de apoio aos projetos de ensino à distância.

  • Tem o propósito de sempre disponibilizar seu acervo para pessoas físicas e Instituições sem fins lucrativos.

  • Facilita o fortalecimento de iniciativas que visem o estabelecimento de atuações conjuntas (professores, pesquisadores, técnicos e demais interessados) em projetos que se integrassem por redes.

  • Visa facilitar ações de intercâmbio e de trocas de dados e informações.

  • Permite o fortalecimento de projetos de formação de alunos de graduação e de Pós-Graduação, viabilizando-se pelo acesso mais amplo e intenso ao conhecimento, que lhe pode ser disponibilizado (lendo mais e conhecendo novas fontes de pensamento e de informações).

  • Pode se constituir em um modelo para iniciativas de outras áreas.

4.5. A Geomorfologia como Temática Piloto

A implantação da Biblioteca Virtual está sendo feita com a temática da Geomorfologia, buscando constituí-la com seus textos clássicos, juntando-se, também a elas

um banco de referências bibliográficas com cerca de 2000 títulos já relacionados.

Espera-se que a consolidação do Projeto Piloto venha permitir uma rápida expansão em direção à implantação da Biblioteca Virtual de Geografia, reunindo todas as demais temáticas da Geografia. Os resultados nesta etapa, em nosso juízo, estão trazendo respaldos ao desenvolvimento de novos trabalhos e ao estabelecimento de parcerias que objetivam interesses comuns no aperfeiçoamento das técnicas empregadas e na disponibilização de publicações.

Cabe assinalar que o registro da primeira exposição pública do projeto foi feito com a exposição de um painel e registro de um resumo nos anais da 6a. Mostra de Extensão da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, em setembro de 2002.

As iniciativas para a constituição do acervo estão sendo feitas principalmente com trabalhos presentes em periódicos, livros não reeditados, obras de domínio público e autorizações de detentores de direitos autorais (os próprios autores / instituições públicas e privadas / associações profissionais / bibliotecas / universidades / órgãos públicos municipais, estaduais e federais ).

Destaca-se também a busca por uma participação interativa dos usuários, principalmente em relação a indicação de novas referências para os bancos de bibliografia e de publicações a serem disponibilizadas.


5. A Apresentação da Biblioteca

Acesso à Biblioteca http://www.geografia.igeo.uerj.br/biblivirtual/

Ou a partir de http://www.uerj.br ( página da UERJ – Instituto de Geociências – Departamento de Geografia)

O usuário irá dispor de :

1 - Apresentação da Biblioteca (texto que mostra e explica o funcionamento da Biblioteca );

2 - Inscrição de leitores ( ficha eletrônica de cadastramento de leitor e regras de uso ) ;

3 - Obras Clássicas ( acesso as formas de escolha e busca das publicações – apresentação de textos );

4 - Bibliografia Disponível ( opção por temática – formas de busca – disponibilização da bibliografia – por lista de autor e suas publicações e por buscas selecionadas );

5- Resumos de trabalhos recentes ( textos disponibilizados pelos autores e que serão exibidos por um período de um ano );

Opções para Acesso a :

6- Página do Departamento de Geografia da UERJ;

7- Endereços de Cursos de Graduação e Pós-Graduação em Geografia;

8- Bibliotecas Virtuais;

9- Bibliotecas Convencionais

9- Eventos;

10- Lançamento de publicações;

11- Concursos;

12- Professores e Pesquisadores ;

13- Biografias dos autores dos Textos disponibilizados

14- Caixa de Correspondência - para efetivar acesso interativo;


O funcionamento de modo pleno do projeto piloto implica na existência de registro dos usuários e na contagem do número de consultas (modos também de avaliação)

6. A Constituição do Acervo de Obras Clássicas ( Exemplo da Geomorfologia )

Na etapa atual a seleção das publicações é um dos trabalhos principais, incluindo localizá-los e a obtenção das autorizações para a disponibilização dos textos.

É importante lembrar que a biblioteca seguirá as normas da legislação vigente quanto aos direitos autorais e às citações de créditos, que se fizerem necessárias.

Registra-se também que há na legislação normas quanto a duração dos direitos autorais e a passagem de publicações para o domínio público.

Ao longo do trabalho, ao encontrar publicações antigas verificou-se que algumas delas também agregavam valor sentimental e histórico, tais como: registros de editoras que não mais existem; assinaturas de autores; dedicatórias; notas e apontamentos. Em função dos processos utilizados será possível também disponibilizar esses registros, que facilmente podem ser perdidos e que hoje começam a ser valorizados, na medida em que a Sociedade está passando a conferir importância à preservação da sua memória.

Outro aspecto importante a ser lembrado refere-se a possibilidade de divulgar a publicação sem ficar com a posse do original usado. Muitas publicações não são colocadas nas bibliotecas em função de valores que agregam, pois os que as possuem não querem correr riscos de vê-las perdidas, mesmo em bibliotecas que tenham controles satisfatórios.

A biblioteca poderá também concorrer para que se descubram textos perdidos ou mesmo facilitar a reprodução de publicações esgotas que possuam poucos exemplares em bibliotecas.


6.1. Exemplos de Publicações que Agregam Registros Históricos

1- Controvérsias Geomorfológicas - Vitor Ribeiro Leuzinger (Professor Catedrático Interino da Faculdade Nacional de Filosofia –FNF - da Universidade do Brasil -UB) Rio de Janeiro -1948 – Livro impresso pelo “Jornal do Commercio – Rodrigues & C.- Av. Rio Branco 117 – Rio de Janeiro” . O exemplar que está em nossa posse contem a seguintes palavras grifadas na capa pelo autor : para a prova de defesa . Foi o exemplar que levou para a apresentação de sua Tese no Concurso da Cadeira de Geografia Física da FNF-UB, contendo inúmeras anotações feitas de próprio punho pelo autor ( correções, lembretes, complementações etc.)


2- Rock Weathering on “Terras Firmes” and Deposition on “Várzeas” in the Amazon –

Takao Sakamoto – Reprinted from Journal of the Faculty of Science, University of Tokyo, Sec.II, Vol.XII, Pt.2, pp.155-216, July 30th, 1960. A separata que está em nossa posse traz o carimbo da Biblioteca particular do Prof. Dr. Ignácio Machado de Brito ( Professor Titular – Paleontologia do Departamento de Geologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro -UFRJ). Na capa, assinatura do autor, em setembro de 1960, ofertando o exemplar (talvez o único ou um dos poucos existentes no Brasil) ao Prof. Francis Ruellan (FNF-UB)



6.2. Algumas das Publicações que Estão Sendo Selecionadas

Obs.: a) No segundo semestre de 2003 a Biblioteca deverá iniciar a divulgação de um levantamento a ser feito junto aos leitores, para saber da parte deles quais as publicações de maior interesse. A interação será feita pela caixa de correspondência.

b) De imediato pretende-se inserir no acervo pelo menos uma publicação de cada

autor que tenha tido contribuições relevantes.


Entre outras, apenas como exemplos :

A Geomorfologia do Brasil Oriental – Lester King – Revista Brasileira de Geografia – 1956.


A Geomorfologia da Região de Nova Friburgo – Aziz Nacib Ab`Saber – Anais da Associação dos Geógrafos Brasileiros - 1951


Introdução ao Estudo dos Brejos Pernambucanos. Gilberto Osório de Andrade e Rachel Caldas Lins – Arquivos Instituto de Ciências da Terra – 1964


Baixadas Litorâneas Quentes e Úmidas – João Dias da Silveira – Livro editado pelo autor- 1950


O Escudo Brasileiro e os Dobramentos de Fundo – Francis Ruellan – Curso de

Especialização em Geomorfologia – FNF-UB – 1952


A Geologia de Niterói na Tectônica da Guanabara –Alberto Ribeiro Lamego – Ministério Agricultura – DNPM – 1945


Enchentes e Movimentos Coletivos de Solo no Vale do Paraíba em dezembro de 1948– Influência da Explotação Destrutiva das Terras – Hilgard O`Reilly Sternberg - Revista Brasileira de Geografia - 1949


O papel das Enxurradas no Modelado do Relêvo Brasileiro – Francis Ruellan – Boletim Paulista de Geografia – 1954


Esbôço Morfológico da Região Litorânea do Estado do Rio de Janeiro – Pierre Birot – Boletim Geográfico – 1959


Problemas Geomorfológicos do Brasil Tropical Atlântico – Emmanuel de Martonne – Revista Brasileira de Geografia – 1943 e 1944


Considerações a Respeito da Evolução de Vertentes – João José Bigarella; Maria Regina Mousinho e Jorge Xavier da Silva – Boletim Paranaense de Geografia -1965


7. Conclusão

Este trabalho marca o início da etapa de funcionamento e divulgação da Biblioteca Virtual de Geografia do Departamento de Geografia da UERJ, com a implantação da Temática de Geomorfologia.