Voltar à Página da AGB-Nacional
                                                                                            

   

 

X SIMPÓSIO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA FÍSICA APLICADA

 

 

 

 

MANUTENÇÃO DOS RECURSOS NATURAIS E AS FORMAS DE MANEJO DO SOLO E DA QUALIDADE DA ÁGUA EM UNIDADES FAMILIARES RURAIS DOS MUNICÍPIOS DE LIBERATO SALZADO, ERVAL SECO E PINHAL -RS.[1]

 

 

 

 

Janete Teresinha Reis geojane@bol.com.br

Vera Maria Favila Miorin vmiorin.sma@terra.com.br


 

Departamento de Geociências
Universidade Federal de Santa Maria - UFSM - RS

 

 

 

Palavras - Chaves: Recursos naturais, uso do solo; Qualidade da água; Equilíbrio sócio-ambiental 

Eixos: 2 - Aplicação da Geografia Física à Extensão.

Sub-eixo: 2.3 - Parcerias Governo/Sociedade.

 

 

 

 

 

INTRODUÇÃO

O uso inadequado dos recursos naturais e a poluição dos ambientes tanto rurais como urbanos nos remetem a esta problemática. Diante do que, as unidades familiares rurais por disporem de pouca área são os principais alvos de atenção e preocupação quer em nível nacional, estadual como em nível local, devido as deficiências e dificuldades que ocorrem exigindo um permanente controle de adequação.

Isto é facilmente entendido nas unidades familiares rurais locadas no estado do Rio Grande do Sul, principalmente nos municípios de Pinhal, Erval Seco e Liberato Salzano, alvo deste estudo. Demonstra-se não apenas a preocupação com o meio ambiente, mas também, o desejo em poder modificar certas formas de relações que o homem rural estabelece com a natureza, ou seja, a forma com usufrui os recursos naturais disponíveis em suas propriedades. O objetivo da investigação teve como objeto quantificar os recursos terra e água, quanto a sua disponibilidade, qualidade e uso nas unidades de produção familiar rural dos três municípios. Este estudo tangência a questão da sustentabilidade sócio-ambiental, entre o uso dos recursos e

a sua manutenção futura, procurando averiguar os impactos existentes, como propor procedimentos técnicos alternativos para a agricultura familiar rural na tentativa de melhorar as condições socioeconômicas das populações.

 

METODOLOGIA

O trabalho também teve apoio em investigações bibliográficas (fontes secundárias) que forneceram elementos teóricos e conceituais às análises desenvolvidas e as interpretações realizadas a respeito dos municípios estudados na Região do Médio Alto Uruguai – RS.

A metodologia em seu desenvolvimento utiliza-se das informações de campo armazenadas em tabelas de Excel e organizadas de acordo com os atributos em escala de distribuição dos municípios. Sobre estas informações foram selecionadas as variáveis pertinentes ao estudo e isoladas em uma planilha específica que permitiu a aplicação do software statistica (Softstat).

Após a seleção das variáveis e dos atributos considerados pertinentes as respostas dadas e que atenderam aos objetivos do trabalho, classificou-se as variáveis de acordo com os grupos a seguir.

A metodologia destacou os recursos naturais, principalmente alguns de seus elementos, como o solo e a água que receberam análise especial, bem como os aspectos ambientais e de produção que envolve a composição das unidades de produção no que se refere a sua estrutura social e econômica.

 

RESULTADOS

A pesquisa revelou que o domínio das atividades agrícola nas unidades de produção familiar sofre influência da disposição do relevo, sendo que a exploração das atividades ocorre sobre Encosta Moderada e Encosta Acentuada, identificando a presença de uma topografia acentuada e que o uso da terra se realiza independente das formas de relevo e de fertilidade adequada do solo. Na verdade este uso atende as necessidades de sobrevivência e de realização socioeconômicas permitindo que se considere o desenvolvimento das atividades agrícolas independentes das formas de relevo quando estas necessidades, sobrevivência e realização socioeconômica deverão ser atingidas.

Em estudos anteriores, sobre um universo de treze municípios, destacou-se que em 61,53% destes municípios estariam desenvolvendo suas atividades sobre formas de relevo que, por serem diferenciadas, nem sempre se respeita os limites das declividades ao uso. Este problema tornou-se o objeto do estudo nos três municípios selecionados, os quais por carecerem de equilíbrios, merecerem estudos mais específicos.

Verificou-se que nos municípios de Erval Seco, Liberato Salzano e Pinhal as unidades familiares rurais são caracterizadas, topograficamente, como de uso inadequado quanto ao desempenho da atividade agropecuária, mais especificamente a atividade agrícola. Esta caracterização se deve a presença de elevado percentual de Encosta Moderada, Encosta Acentuada e Morros na composição das terras que definem os estabelecimentos rurais bem como a fertilidade da terra. Entende-se que neste caso a presença da ação antrópica.

Estudos recentes indicam que a maioria dos produtores familiares rurais sabe que a fertilidade da terra é regular, e que o solo já sofreu esgotamento e, se não usarem adubos o solo não produzirá. A classificação dos solos na região mostra ocorrência de solos férteis, mas estes solos estão esgotados e merecem cuidados especiais.

No que diz respeito a qualidade da água percebeu-se que a maioria das unidades familiares rurais entrevistadas possuem água oriunda de poços tubulares mas, não é realizado a análise da qualidade da água. Além disso, uma pesquisa revelou que no município de Liberato Salzano a maioria dos poços tubulares registrados pela CORSAN possuem altos riscos de contaminação.

Analisando-se as condições hidrosanitárias constatou-se que as famílias rurais do município de Pinhal apresentam maiores problemas e dificuldades em relação as famílias do município de Erval Seco e Liberato Salzano, porque na maioria das propriedades rurais não ocorre fossa asséptica, porém, por outro lado, todas as famílias possuem água encanada em suas casas.

O uso freqüente de agrotóxicos na maior dos estabelecimentos Familiares Rurais, entrevistados dos três municípios, compromete a qualidade da água da Região, bem como todo o seu meio-ambiente. A maior quantidade é aplicada nas lavouras, além de realizar aplicações em pomares e hortas, comprometendo a saúde e qualidade de vida da população.

A EMATER e as cooperativas são apontadas como os principais informantes de como realizar esta aplicação e, na maioria das vezes, é realizada por mão-de-obra familiar. O destino das embalagens dos agrotóxicos, após sua aplicação, são guardados no galpão ou enterrados, o que é preocupante.

No município de Erval Seco é realiza o plantio direto como prática de conservação do solo, para tanto, em 54,83% dos estabelecimentos esta prática é realizada com uso de dessecante, já a análise do solo se realiza em, aproximadamente, 95% das propriedades familiares rurais. No município de Liberato Salzano esta prática de conservação do solo também é realizada, tendo como maior percentual o plantio direto e uso de dessecante, seguido da forrageira e da cobertura verde. Para o município de Pinhal, as práticas de conservação do solo que assumem maior expressão, são as forrageiras e a cobertura verde, compreendendo um percentual de 52,63% das unidades de produção. Pode-se ressaltar que o plantio direto também é realizado com uso de agrotóxicos.

Deste modo, considera-se que a prática do uso da rotação de culturas bem como o plantio direto seguido de curvas de nível para evitar a erosão dos solos, é requisito merecedor de atenção entre os agricultores familiares rurais destes municípios analisados.

 

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Considera-se que os cuidados com o uso da terra devem ser constantes, uma vez que foi identificado o uso de terras, cujas formas de relevo exigem manejo adequado para que se mantenha o equilíbrio ambiental, o que nem sempre ocorre entre os produtores, pois, onde há o predomínio de famílias cujo sustento e formação de renda familiar advém do uso da terra, a qual já é escassa e apresentado uma fertilidade variada torna-se difícil atender aos princípios de manejo e controle do meio ambiente.

Em trabalhos anteriores se comprovou que há o predomínio da pequena propriedade rural, mas o principal impasse consiste na aquisição de financiamentos que possam "recuperar" a propriedade familiar rural. Percebe-se que o RS - Rural vem suprir as necessidades imediatas do produtor familiar rural, mas o que se deseja é que o produtor se torne auto-suficiente, ou seja, adquira o recurso necessário para manter sua propriedade, o que para ser alcançado é necessário imobilizar, constantemente, um certo capital no presente para que o equilíbrio se mantenha no futuro.

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

 

DREW, D. Processos Interativos Homem - Meio Ambiente. São Paulo: DIFEL, 1986.

 

MENDONÇA, F. A. Geografia e Meio Ambiente. 4ª ed. São Paulo: CONTEXTO, 2001. (caminhos da geografia).

 

ROMEIRO, Ademar Ribeiro. Meio Ambiente e dinâmica de inovações na agricultura. São Paulo: ANABLUME, 1998.

 

TEDESCO, J. C. Contratualização e racionalidade Familiar. In: Agricultura Familiar Realidades e Perspectivas. 2ª ed. Passo Fundo: EDIUPF, 1999. Cap. 3, p. 107-122.

 


[1] Pesquisa desenvolvida no Curso de Especialização em Geociências. Departamento de Geociências, Centro de Ciências Naturais e Exatas, Universidade Federal de Santa Maria-RS.