Voltar à Página da AGB-Nacional
                                                                                            

   

imprimir o artigo

E3-3.3T211

 

X SIMPÓSIO BRASILEIRO DE GEORAFIA FÍSICA APLICADA

 

O uso do solo e sua influência sobre a qualidade das águas superficiais da bacia do rio Conceição, em Cruz Alta (RS)

 

 

Lisiane Soria Galvarro Zanini – E-mail: lisianez@cpovo.net

Luis Alberto Basso – Departamento de Geografia - Instituto de Geociências, UFRGS. E-mail: lbasso@terra.com.br



 

 

Palavras-chave: Sistema de Plantio Direto; Qualidade de Águas; Águas Superficiais.

Eixo Temático:  3 - Aplicação da Geografia Física à Pesquisa.

Sub-eixo: 3.3 - Gestão e Planejamento Ambiental.

 







 

 

A escassez de água, gerada muitas vezes pelo mau gerenciamento dos recursos disponíveis, é uma preocupação de ordem mundial, inclusive em regiões que apresentam grandes mananciais. Outro grande problema é a contaminação destes mananciais, que ocorre tanto nos centros urbanos como no meio rural. Neste, a principal causa de contaminação se dá por meio da adoção de práticas agropecuárias inadequadas.

Os problemas advindos do uso inadequado do solo, têm despertado cada vez mais o interesse de estudiosos e pesquisadores do mundo inteiro. O aumento da população mundial e a crescente demanda por alimentos têm levado cientistas a buscar soluções para um uso mais eficiente do solo, equacionando uma maior produção com menores perdas por erosão e menores índices de contaminação.

Na região onde localiza-se a bacia hidrográfica do rio Conceição, disseminou-se amplamente a prática do Sistema de Plantio Direto – SPD, como técnica de plantio, visando diminuir as perdas de solo por erosão hídrica, uma vez que a região vinha sofrendo com o uso intensivo do solo, o que veio acarretar a degradação física e biológica do mesmo.

O objetivo do presente trabalho foi o de demonstrar a influência do uso do solo e das práticas agrícolas sobre a qualidade das águas superficiais da bacia hidrográfica do rio Conceição, localizada no município de Cruz Alta, Rio Grande do Sul.

Para tal, foi estabelecido um cronograma de trabalhos de campo, que incluiu a coleta de amostras da água em quatro pontos representativos da bacia, sendo: um ponto no exutório da bacia (P1); outro ponto em uma nascente localizada dentro do perímetro urbano (P3); outro, dentro de uma propriedade considerada modelo de aplicação do SPD (P2), e, o último, em uma área onde o SPD não é adotado de forma sistemática (P4).

Na Figura 1, a seguir, mostra-se o mapa com a localização dos pontos amostrais na bacia hidrográfica do rio Conceição.

 

 

A coleta das amostras foi realizada entre fevereiro de 2000 e janeiro de 2001, perfazendo um total de 5 (cinco) campanhas, conforme a Figura 2 a seguir:

 

Figura 2: Datas das campanhas realizadas

 

Para realizar a classificação das águas, foram selecionados parâmetros físico-químicos e bacteriológicos que pudessem revelar a relação entre o uso do solo e a qualidade da água, tais como: turbidez, sólidos dissolvidos totais (TDS), sólidos em suspensão totais (TSS), nitratos, fósforo, oxigênio dissolvido (OD), demanda bioquímica de oxigênio (DBO) e coliformes fecais. Para complementar a avaliação da qualidade das águas da bacia do rio Conceição realizou-se a medição da vazão do corpo d’água em cada ponto amostral. Esta medição permitiu quantificar a massa ou carga dos elementos exportados pelo curso fluvial. A partir dos resultados dos parâmetros selecionados, foi realizada a classificação das águas de acordo com os limites previstos na Resolução n° 20/1986 do Conama para Águas Doces, como mostra a Figura 3, a seguir.

 

Limites Estabelecidos pela Resolução 20/86 do Conama para Águas Doces

 

Água de

Classe 1

Água de

Classe 2

Água de

Classe 3

Água de

Classe 4

Turbidez (UTN)

 

até 40

 

até 100

 

até 100

 

até 100

TSS (mg/l)

Não

Especificado

Não

Especificado

Não

Especificado

Não

Especificado

TDS (mg/l)

 

até 500

 

até 500

 

até 500

 

até 500

Nitrato (mg NO3/l)

 

até 10

 

até 10

 

até 10

 

até 10

Fósforo (mg/l)

 

até 0,025

 

até 0,025

 

até 0,025

 

até 0,025

DBO (mg O2/l)

 

até 3

 

até 5

 

até 10

 

até 10

OD (mg O2/l)

 

até ³ 6

 

não inferior a 5

 

não inferior a 4

 

superior a 2,0

Col. Fecais (Col/100ml)

 

até 200

 

até 1000

 

até 4000

 

até 4000

Figura 3: Limites da Resolução 20/86, do Conama

 

Para a verificação dos processos erosivos, foi estabelecido estudo da carga exportada por cada ponto da bacia, seja em suspensão ou dissolvida, a partir do produto entre a concentração dos parâmetros (TSS e TDS) e a vazão.

Os resultados indicaram que as águas que drenam a bacia hidrográfica são de boa qualidade no que diz respeito aos parâmetros que foram analisados, e se enquadram, de uma forma geral, na Classe 1 da Resolução n° 20/1986 do Conama, que prevê usos nobres para águas desta Classe.

Em relação à análise de nitratos, os valores encontrados ficaram dentro do limite estabelecido pelo Conama (10 mg/l). Já em relação à análise de fósforo total, em algumas campanhas surgiram concentrações com valores de 0,05 mg/l, ou seja, superior ao valor considerado normal pelo Conama (0,025 mg/l), indicando neste caso, possível contaminação por fertilizantes em pontos da área rural, e/ou esgotos domésticos, no ponto que drena área urbana da cidade de Cruz Alta.

Com relação ao OD na água, observaram-se concentrações consideradas normais, porém as concentrações de DBO mostraram índices insatisfatórios na última campanha para o ponto 1.

No que diz respeito às práticas conservacionistas adotadas pelos produtores que exploram as áreas dessa bacia, como o Sistema de Plantio Direto, os resultados demonstraram existir evidências de que este sistema ajuda a diminuir a perda de solo para a rede de drenagem. A Figura 4, a seguir, mostra a estimativa da carga de sedimentos exportada por cada um dos pontos amostrais, obtida a partir da concentração dos parâmetros TSS e TDS e da vazão dos respectivos cursos d’água.

 

 

Pontos/datas

Carga em suspensão (t/mês/Km2)

Carga dissolvida (t/mês/km2)

Carga Total (t/mês/km2)

Ponto 1 – 08.02.2000 vazão mínima

0,237 (4,4%)

5,145 (95,6%)

5,382

Ponto 1 – 27.01.2001  vazão máxima

0,830 (25,4%)

2,434 (74,6%)

3,264

Ponto 2 – 07.10.2000  vazão mínima

0,120 (2,7%)

4,424 (97,3%)

4,544

Ponto 2 – 27.01.2001  vazão máxima

0,136 (6,1%)

2,120 (93,9%)

2,256

Ponto 3 – 08.02.2000  vazão mínima

0,168 (0,9%)

18,312 (99,1%)

18,480

Ponto 3 – 28.12.2000  vazão máxima

7,485 (45,2%)

9,069 (54,8%)

16,554

Ponto 4 – 28.12.2000  vazão mínima

4,024 (52,2%)

3,689 (47,8%)

7,713

Ponto 4 – 27.01.2001  vazão máxima

1,969 (31,7%)

4,234 (68,3%)

6,203

Figura 4 – Estimativa da Carga em Suspensão, Carga Dissolvida e Carga Total (t/mês/km2) em cada um dos 4 Pontos Amostrais em dois Períodos:Vazão Máxima e Vazão Mínima

 

Tal conclusão é evidenciada ao se analisar a carga em suspensão exportada por cada ponto amostral. No ponto 4, representativo da área onde o SPD não é utilizado de forma sistemática, se confirma que há indícios de que a área por ele drenada, sofre maiores processos erosivos, uma vez que a carga em suspensão é mais elevada, em relação aos demais. Note-se que, em relação aos pontos 1 e 2 os valores de carga dissolvida exportada são significativamente maiores. Já o ponto 3, apresenta um pico de carga em suspensão exportada na data de maior vazão, o que pode ser explicado pelo carreamento de partículas do entorno urbano. Este ponto 3 também é o ponto que apresenta os maiores valores de carga dissolvida exportada, o que denota o transporte de dejetos poluentes do centro urbano. Com relação ao ponto 1, que drena toda a bacia, e é representativo de sua média, observa-se que apresenta variações significativas de carga em suspensão e dissolvida entre as datas de menor e maior vazão.

Tais dados são corroborados pelos resultados dos parâmetros turbidez e TSS, que são capazes de indicar a carga detrítica dissolvida e em suspensão carreada pelos cursos fluviais, o que da a dimensão dos processos erosivos que afeta a bacia hidrográfica.

As Figuras 5 e 6 abaixo, mostram esses resultados, onde foram verificados os menores valores para a micro-bacia onde o SPD é utilizado.

 

Figura 5: Evolução Temporal e Espacial da Turbidez nas Águas Superficiais da Bacia Hidrográfica do Rio Conceição

 

 

Figura 6: Evolução Temporal e Espacial do Total de Sólidos em Suspensão nas Águas Superficiais da Bacia Hidrográfica do Rio Conceição

 

Para o ponto 2, dentro da propriedade modelo, a turbidez média encontrada foi de 4,80 NTU, enquanto que o ponto 4, que drena área sem uso sistemático do SPD, a média de turbidez foi de 27,63 NTU, o que indica que efetivamente este modelo de exploração contribui para uma menor erosão hídrica Já para o TSS, nos mesmos pontos, os valores médios encontrados foram de 3,00 mg/l e 25,75 mg/l, respectivamente.

É importante ressaltar que para ambos parâmetros (turbidez e TSS) a evolução temporal e espacial foi similar, o que evidencia uma relação “estreita” entre esses indicadores.

Ainda, o ponto localizado dentro da propriedade modelo (P2), apresentou os menores valores para DBO e não foram encontrados nitratos e fósforo, o que supõe uma menor utilização de fertilizantes químicos proporcionada pela adoção do SPD.

Em contrapartida, o ponto que drena a área urbana (P3), apresentou os maiores valores para TDS, 114,20 mg/l, e para carga dissolvida exportada, 13,691 t/mês/km2, permitindo inferir a existência de contaminação química, provavelmente oriunda de dejetos de poluição urbana, constituídos de matéria orgânica e mineral, o que pode explicar os valores mais elevados registrados conforme mostra a Tabela a seguir.

 

 

TABELA 1

 

DADOS DO TOTAL DE SÓLIDOS DISSOLVIDOS (mg/l) NAS ÁGUAS DA BACIA HIDROGRÁFICA

DATA

P1

P2

P3

P4

08.02.2000

152

nr

328

nr

07.10.2000

50

110

67

98

18.11.2000

46

33

54

41

28.12.2000

54

34

63

44

27.01.2001

44

31

59

43

Médias

69,20

52,00

114,20

56,50

 

Com relação ao estudo da carga de sedimentos exportada pela bacia como um todo, verificou-se que os maiores valores são de carga dissolvida em relação à carga em suspensão, evidenciando desta forma que na bacia do rio Conceição existe um maior controle de erosão graças à adoção das técnicas do SPD.

Em contrapartida, existe a utilização de produtos químicos realizada em grande escala por alguns proprietários, o que é demonstrado pela presença de nitratos e fósforo, que só não foram detectados no ponto 2, localizado dentro da propriedade modelo.

Em relação aos demais pontos, observaram-se concentrações acima daquela tida como normal para águas naturais, de 0,1 mg/l.

 

 

Considerações Finais

 

Por meio da análise da qualidade das águas que drenam a bacia hidrográfica do rio Conceição, verificou-se que, na grande maioria, estão enquadradas na Classe 1 para água doce, de acordo com a Resolução 20/86 do Conama, nos quatro pontos em que foram coletadas amostras. Isto significa que as águas são de boa qualidade, no que diz respeito aos parâmetros que foram analisados, embora os pontos 1 e 3, na primeira campanha, tenham apresentado valores pouco acima do limite estabelecido pelo Conama para o parâmetro Coliformes Fecais.

Os parâmetros físico-químicos e bacteriológicos, mesmo quando analisados fora da perspectiva da Resolução do Conama, demonstram que a qualidade das águas das nascentes do rio Conceição são razoáveis, pois a maioria dos resultados das análises os enquadra como dentro dos limites considerados normais para águas naturais.

Em relação à análise de nitratos e fósforo total, em algumas campanhas surgiram concentrações superiores ao considerado normal, indicando possível contaminação por fertilizantes e/ou esgotos domésticos. Com relação ao oxigênio dissolvido na água, observaram-se concentrações consideradas normais, porém as concentrações de demanda bioquímica de oxigênio mostraram índices insatisfatórios para apenas um ponto e em uma campanha.

Com o intuito de relacionar a existência ou não de práticas conservacionistas de solos e águas nas propriedades rurais da área da bacia, com os resultados das análises dos parâmetros de qualidade de água selecionados, estabeleceram-se algumas conclusões.

Acredita-se que a adoção de práticas conservacionistas, a exemplo do SPD, realmente ajuda a diminuir a perda de solo para a rede de drenagem, o que pode ser comprovado através do cálculo da estimativa da carga em suspensão exportada por cada uma das micro-bacias, onde a do ponto 2, dentro da propriedade modelo e que utiliza as técnicas antes citadas, apresenta os menores valores. Isto também pode ser observado por meio dos resultados dos parâmetros turbidez e TSS, onde a mesma micro-bacia apresentou valores muito inferiores àqueles apresentados pelo ponto 4, por exemplo.

Também as análises da presença de nitratos e fósforo total demonstraram a inexistência destes elementos nas águas naquele ponto (P2), o que pode ser explicado pela menor utilização de fertilizantes químicos, proporcionada pela utilização do SPD. Os menores valores para DBO também foram encontrados no ponto 2, reforçando as conclusões anteriores.

Por sua vez,o ponto 3, localizado junto à área urbana, apresentou os maiores valores para TDS e para a carga dissolvida exportada, o que permite inferir a existência de contaminação química, provavelmente oriunda de dejetos de poluição urbana.

Com relação à carga de sedimentos exportada pela bacia como um todo, verifica-se que os maiores valores são de carga dissolvida em relação à carga em suspensão, evidenciando desta forma que na bacia do rio Conceição existe um maior controle da erosão graças à adoção das técnicas do SPD. Em contrapartida, existe a utilização de produtos químicos, realizada em grande escala por alguns proprietários, o que é demonstrado pela presença de Nitratos e Fósforo, que apenas não foram encontrados no ponto 2, propriedade modelo, conforme antes mencionado.