Voltar à Página da AGB-Nacional

 

 

 

X SIMPÓSIO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA FÍSICA APLICADA

 

 

Estudo geoambiental de bacias hidrográficas dos rios Pirangi, Catu e Doce - RN

 

 

Maria Francisca de Jesus Lírio Ramalho – UFRN

Salim Kalil Aby Faraj Filho - UFRN

Josemberg Pessoa Borges- UFRN

Hanyel  Pessoa Paiva - UFRN

 

Universidade Federal do Rio Grande do Norte

CCHLA/Departamento de Geografia

Laboratório de Geografia Física

 

 

Palavras chave: impactos ambientais, susceptiblidade de solos, análise ambiental

 

Eixo Temático: 3 - Aplicação da Geografia à Pesquisa

Sub-eixo: 3.4 – Aplicações Temáticas em Estudos de Caso

 

 

 

Este estudo faz parte de um projeto sobre bacias hidrográficas da costa leste do estado do Rio Grande do Norte. Nessa fase do projeto desenvolvem-se pesquisas nas bacias dos rios Pirangi, Catu e Doce, onde o processo de ocupação, decorrente de atividades agrícolas, moradia e uso do potencial hídrico chama a atenção para a análise das potencialidades e fragilidades do meio físico a fim de compreender as interferências do homem nesses ambientes. Com esse estudo nas referidas bacias, procura-se analisar os efeitos dos impactos das atividades antrópicas e avaliar a dinâmica dos processos erosivos, levando em consideração as condições de clima tropical, as propriedades dos solos e a proteção da cobertura vegetal. Sabendo-se que a ocupação das margens de rios e encostas pode acelerar a erosão assim como levar a modificação do potencial ecológico e hidrológico do sistema, comprometendo fauna, infiltração das águas e drenagem das vertentes (Casseti, 1995), justifica-se a importância dessa pesquisa que se ocupa com os problemas ambientais, sobretudo da erosão dos solos, nas áreas de bacias hidrográficas como as dos rios Pirangi, Catu e Doce, que se caracterizam pela predominância de solos arenosos e clima quente-úmido com chuvas concentradas no período outono-inverno, onde ocorrem desmatamentos, na maioria decorrentes da urbanização, e mau uso do solo. A destruição de encostas pela retirada de material para aterros e construções, os trabalhos de terraplenagem e os cortes de estradas aceleram os processos erosivos, evidenciados, principalmente, pelas marcas deixadas na superfície em formas de ravinas e voçorocas (Ramalho, 1999). O mau uso do solo, segundo Stocking (1984); Morgan, (1986); Politano et al. (1992), têm papel relevante no desencadeamento dos processos erosivos. Atentando para esses problemas foram selecionadas as três bacias que se encontram inseridas em áreas de relevo plano a suavemente ondulado, desenvolvido em rochas sedimentares representadas pelos depósitos da Formação Barreiras, dunas e paleodunas; solos arenosos e vegetação típica de dunas e de tabuleiros, onde as chuvas são irregulares e as interferências antrópicas se intensificam. A metodologia tem como base a utilização de materiais bibliográficos e cartográficos, referentes às áreas estudas, para o reconhecimento dos aspectos geomorfológicos, geológicos, pedológicos, climáticos, biogeográficos e de ocupação humana, utilizando também como subsídios técnicas de interpretação de imagens de satélite e fotointerpretação na confecção de mapas temáticos que serão utilizados para análise ambiental, além da análise quantitativa (morfometria das bacias e das encostas) e os trabalhos de campo e laboratório.  Na fase atual foram feitas coletas de amostras de solos que posteriormente serão analisadas, envolvendo parâmetros relacionados com as propriedades físicas e químicas do solo, como textura, porosidade, densidade aparente e real, teor de matéria orgânica, teor de agregados e pH. Esses dados devem ser relacionados, visando estabelecer comparações entre diferentes variáveis, que integram o sistema hidrográfico das referidas bacias. As amostras foram coletadas em rampas com declividade em torno de 3 a 10%, sendo de superfícies representativas de duas áreas, uma com mata e outra com vegetação degradada. Esse procedimento teve como objetivo estabelecer uma análise comparativa entre áreas com solo protegido e áreas com solos expostos. Conforme as características ambientais identificadas durante as atividades de campo pode-se constatar ocorrência de processos erosivos, que provavelmente resultem da interação de vários fatores e mecanismos, tendo em vista que o relevo, apesar de modesto, tem na sua formação materiais susceptíveis à erosão e encontra-se em uma área onde há concentração das chuvas e desmatamento das superfícies arenosas. Nessas áreas são também encontradas formações dunares que pela friabilidade e a pouca coesão dos sedimentos facilitam a remoção e mobilização de areia, que são levadas pelas chuvas e pelo vento, onde a concentração das precipitações e a intensidade e freqüência do vento adquirem maior poder de transportes das partículas arenosas, nas respectivas estações chuvosa e seca. Espera-se que os resultados obtidos com essa pesquisa poderão subsidiar outras pesquisas além de contribuir para o acervo das referências bibliográficas que envolvem temas específicos ao estado norte-rio-grandense.

 

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

CASSETI, V. Ambiente e apropriação do relevo. 2. ed. São Paulo: Contexto, 1995. 147p.

 

Morgan, R. P. C. (1986), Soil erosion and conservation, Longman Group,. England, 298p.

Politano, W., LATANZE, R. J., LOPES, L. R., et  al. Ocupações do solo e estados de erosão acelerada do Município de Mococa, SP. Revista de Geografia, v.11, p. 47-61,1992.

 

 

RAMALHO, M.F.J.L. Evolução dos processos erosivos em solos arenosos entre os municípios de Natal e Parnamirim. Rio de Janeiro:UFRJ/CCMN, 1999 345 p. Tese ( Doutorado).

 

STOCKING, M.A. Rates of erosion and sediment yield in the Africa environment. In: Walling D. E et al., (eds). Challengs in Africa Hydrology and water Resources. IAHS Publication, v. 114, p. 285-294, 1984.

 

quivos/afast.gif" width=540 border=0>