Voltar à Página da AGB-Nacional

 

 

 

X SIMPÓSIO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA FÍSICA APLICADA

 

 

IMPACTOS AMBIENTAIS EM ÁGUAS SUBTERRÂNEAS CAUSADOS POR EFLUENTES DO AUTOPOSTO BRAZUCA LTDA EM SOBRADINHO - DF.

 

 

Ruth Elias de Paula Laranja (Unb), laranja@unb.br. Maria Eduarda Miranda Fisher(Unb), duda_gea@unb.br.

 

 

Palavras-chave: meio-ambiente, contaminação e hidrocarboneto.

 

Eixo Temático: 3 - Aplicação da Geografia à Pesquisa

Sub-eixo: 3.4 – Aplicações Temáticas em Estudos de Caso

 

 

INTRODUÇÃO:

            A preocupação com o ambiente é crescente, pois a importância de sua preservação e uso sustentável é imprescindível à boa qualidade de vida para esta e as futuras gerações. Uma da variáveis que interferem  na qualidade de vida é a saúde. Garantida em boa parte por um ambiente equilibrado e sadio.

            Dada a relação entre ambiente equilibrado e a saúde dos indivíduos, percebemos quão necessários são os estudos de impacto ambiental, como instrumento de verificação das condições do meio. É uma atividade analítica que compreende e mensura o objeto de estudo segundo as relações mantidas entre seus elementos e aspectos físicos, bióticos, econômicos, sociais e culturais, numa abordagem holística do problema. O estudo de impacto ambiental capacita o homem a agir sobre certa  região identificando suas potencialidade de uso e, mesmo de não uso. (MACEDO, 1995).

            O objetivo deste trabalho é verificar os impactos ambientais provocados pelo vazamento de efluentes (contaminação por hidrocarbonetos) do Autoposto Brazuca Ltda, localizado em Sobradinho/DF, Km 2,2 da BR-020.

            Como objetivo específico, temos:

-         verificar a destinação inicial da área, ou seja, se o Autoposto foi instalado em local devido, onde não comprometa os padrões mínimos de segurança oferecidos  à sociedade por lei;

-         mostrar os impactos ambientais a curto e longo prazo;

mostrar o papel do planejamento e dos mecanismos de fiscalização em áreas de risco ambiental, propondo medidas mitigadoras.

 

 

METODOLOGIA:

            A realização deste trabalho contemplou várias etapas para obtenção de informações necessárias ao seu desenvolvimento:

-         Levantamento bibliográfico- nesta etapa, todo o material bibliográfico foi pesquisado com o objetivo de oferecer maior embasamento teórico e metodológico da monografia.

Trabalho de campo- esta etapa foi realizada para constatar as características da área a ser estudada. Foram realizadas entrevistas a algumas pessoas que trabalham no local, contribuindo para esclarecer que o problema era antigo e o vazamento atingiu áreas muito maiores.

 

 

CARACTERÍSTICAS  DA ÁREA DE ESTUDO:

1-     Localização da área: O Autoposto Brazuca está localizado na Região Administrativa RA- V, próximo à cidade de Sobradinho. O Autoposto Brazuca está inserido na Zona Urbana de Uso Controlado. Sua área de aproximadamente 24000m² situa-se ao longo da Rodovia BR - 020, Km 2,2 de Sobradinho/DF. È classificado com Classe Três, segundo a Tabela de Classificação de Postos de Serviços Conforme o Ambiente em Torno - ABNT/ NBR 13786/01, devido à presença de poços artesianos com uso indiscriminado de água para consumo humano e operacional por residências e comércio. (SEMARH, 2002).

A ocupação urbana mais próxima é a Chácara 06, separada da área do Autoposto por um muro. São várias residências de uma mesma família, constituindo população fixa de vinte pessoas. Em seguida tem-se o Condomínio Bianca a poucos metros do Setor de Chácaras.

A população vizinha ao Autoposto Brazuca caracteriza uma ocupação irregular, pois, o loteamento da terra efetuou-se por entes particulares. Falta infra estrutura básica, como fornecimento de água e esgoto. As chácaras situadas na área em condomínios próximos, como o condomínio Bianca, têm sistema de abastecimento com uso de poços tubolares e o sistema de saneamento é composto por fossas.

2-     Geologia

O Grupo Paranoá ocupa cerca de 65% da área total do Distrito Federal, sendo possível caracterizar 6 unidades litoestratigráficas correlacionáveis da base para o topo: São as seqüências deposicionais S, A, R3, Q3, R4 e PC.

A unidade S é composta por metassiltitos maciços e metarritmitos arenosos; a Unidade A corresponde as ardósias; a Unidade R3 possui metarritmitos formados por intercalações de quartzitos com camadas de metassiltitos argilosos. As Unidades R4 e PC (Psamo Pelito Carbonatada) correspondem respectivamente, a metarritimitos argilosos e metacalcários com camadas de quartzitos.

As areias de alteração são representadas por solos residuais, provenientes da alteração dos metarritmitos arenosos R4, quartzitos e metarritmitos arenosos R3 do Grupo Paranoá, que sustentam a Chapada da Contagem, Brasília, Sobradinho e Pipiripau.

A caracterização geotécnica dessas areias de quartzito e metarritmito arenoso classifica os materiais como Areia Rosa, Areia Rosa Bruta, Areia Rosa Lavada e Areia Artificial.

As areias ou cascalhos aluvionares são decorrentes de depósitos holocênicos e pleistocênicos de materiais arenosos, presentes nos rios e córregos.

3 - Geomorfologia

            No Distrito Federal predominam superfícies de aplainamento conhecidas como chapadas, as quais apresentam topografia plana a levemente ondulada ou em lombadas, e cobertura de laterita vesicular, pisolítica ou nodular, e de latosolos.

            A área de estudo está inserida na borda leste da Chapada da Contagem, próxima à transição com a região de dissecação de vales de Sobradinho. A região do Autoposto Brazuca ocupa uma área de rebordo de chapada.

4 -Pedologia e Vegetação

            A região possui solos susceptíveis à erosão. Seu relevo é normalmente ondulado, com variações de níveis de declive, com baixa fertilidade natural.

            As variações altimétricas do relevo apresentam níveis correspondentes a três tipos: a) superfícies planas, nas cotas acima de 1200 metros; b) superfícies nas cotas de 1000 a 1200 metros, coberta por cerrado, cerradão, e mata ciliar; c) superfícies nas cotas inferiores a 800 até 1000 metros, coberta por cerrado, cerradão, cerrado ralo, e algumas manchas de mata ciliar.

            O solo da área em estudo é argiloso-siltoso de cor marrom avermelhado até 6 metros de profundidade, após este limite, o solo é arenoso com fragmentos de seixos.

5 - Hidrologia e Hidrogeologia

            O Distrito Federal está situado, no contexto brasileiro, na Província Hidrogeológica do Escudo Central, a qual inclui parcialmente a Faixa de dobramentos Brasília e se estende para norte/nordeste, ocupando a Faixa de Dobramentos  Paraguai/Araguaia e a parte sul do Cráton Amazônico. Esta província é amplamente dominada por aquíferos fissurais, cobertos por manto de intemperismo (solos e rochas alteradas) com características e espessuras variáveis.

            No Distrito Federal, como em qualquer região com geologia caractgerizada por rochas ígneas ou metamórficas cobertas por solos, podem ser diferenciados dois grandes grupos de aquíferos, que  correspondem à classificação maior dos reservatórios subterrâneos de água, incluindo o Domínio Aquífero Poroso e o Domínio Aquífero Fraturado. Na área de estudo, a água subterrânea que o ocorre em rochas ígneas e metamórficas, possui porosidade e permeabilidade primárias muito pequenas. Já a porosidade e permeabilidade secundárias são maiores, devido à significativa ocorrência de fraturas.

            O sentido do fluxo da água subterrânea na área do Autoposto Brazuca se dá, em geral de sudoeste para nordeste. O aquífero da área em questão é do domínio fraturado, subsistemas Q3/R3 e R4. A profundidade média do aquífero livre local da área em estudo é de 5,3.

 

 

DISCUSSÃO E RESULTADOS

O vazamento do Autoposto Brazuca, causou diversos problemas ambientais que vieram a público em 2002, após denúncia de residetnes nas proximidades do estabelecimento.  A população afetada compreende o Setor de Chácaras, sobretudo a Chácara 06. Vizinha do lado leste ao Autoposto, e o Condomínio Bianca.

A contaminação da água subterrânea foi difusa, pois sua fonte estendeu-se sobre grande superfície, estratificando em determinada região - a pluma de contaminação, que contém duas fases: a fase livre - não contaminada, e a fase dissolvida - uma mistura contaminada. Ambas tomaram proporções crescentes com o tempo.

Após análise em laboratório, foi constatada a presença de BTEX e de alguns hidrocarbonetos policiclícos aromáticos (HPAs) no solo, dentre eles, Fenatreno, Naftaleno, Pireno, e de BTEX e alguns HPAs na água, dentro eles Acenalftaleno, Acenaftaleno, Fenatreno, Fluoreno e Naftaleno.

Os compostos encontrados no solo e nas águas subsuperficiais acima dos limites mencionados foram respectivamente: BTES, hidrocarbonetos aromáticos polinucleares; BTE( o,m,p) e PAH: naftaleno, acenaftaleno, acenafteno e fluoreno.  

As análises toxicológicas realizadas nos moradores da área afetada, indicaram elevada intoxicação exógena pelos principais componentes da gasolina oxigenada do Autoposto Brazuca: etanol, benzeno, tolueno, o etil-tolueno e o xileno, por meio da ingestão da água proveniente dos poços.

 

 

CONSIDERAÇÕES FINAIS:

De acordo com o que foi exposto anteriormente, chegamos às seguintes conclusões: 

-         Havia lançamento de efluentes derivados do petróleo no solo da área central do Autoposto Brazuca, oriundos das atividades de lavagem, abastecimento, e troca de óleo;

-         Constataram-se odores característicos da gasolina provenientes do solo ao redor do Tanque de gasolina 04, e vazamento no extrator deste tanque, constituindo-se um foco de vazamento e contaminação do solo;

-         Constatou-se a contaminação das águas subterrâneas- tanto do aquífero não confinado (lençol freático) como do aquífero confinado, por compostos existentes em derivados de petróleo (gasolina);

-         A pluma de contaminação atingiu parte da área da Chácara 06;

-         O abastecimento de água das moradias e áreas não edificadas da Chácara 06, deu-se exclusivamente pelo uso de cisternas, utilizando o lençol freático contaminado pelo Autoposto, e em posição topográfica favorável ao deslocamento do contaminante para as mesmas, o que, somado aos laudos toxicológicos dos moradores da Chácara 06, evidenciam que a exposição e contaminação são provenientes do lançamento de efluentes e do vazamento do tanque de combustível 04 do Autoposto Brazuca;

-         As informações contidas neste trabalho demonstraram a omissão do Poder Público, no que diz respeito aos parcelamentos do solo feitos por particulares, que via de regra desrespeitam o planejamento territorial urbano, além da inexistência de infra-estrutura que assegure a função social da propriedade;

-         A fiscalização pelos órgãos competentes é falha, pois não acompanha a construção dos poços artesianos e fossas, que fora dos padrões, prejudicam a qualidade e vazão da água, trazendo problemas imediatos à saúde e, a longo prazo, falha no abastecimento e desaparecimento dos recursos hídricos.

 

 

BIBLIOGRAFIA:

BAUMGRATZ, S. S. O planejamento urbano de Belo Horizonte e seus problemas geomorfológicos. Geografia, vol. 13 nº 25. 1988.

 

PINTO, M. N. (Org.) Cerrado - Caracterização, Ocupação e Perspectivas. Editora UnB. 1990.

 

SANTOS, R. M. M. Noções básicas sobre captação e gestão de águas subterrâneas. CAESB, Brasília.2000.

 

SECRETARIA DO MEIO AMBIENTE E RECURSOS HÍDRICOS - SEMARH, DF. Relatório de Controle Ambiental (RCA) - Posto Brazuca. Petrobrás. 2002.

 

SOUZA, M. T. Fundamento para gestão dos recursos hídricos subterrâneos do Distrito Federal. Instituto de Geociências. 2000.